As células solares sensibilizadas por corante podem ser produzidas através de um curto processo de fabricação


A luz atravessa um eletrodo transparente sobre uma substância corante, a substância corante absorve a luz e a eletricidade é descarregada em um eletrodo de titânio oxidado. A energia elétrica é transmitida ao eletrodo transparente, e retorna ao pólo oposto por meio de um circuito externo. A energia elétrica recebe um íon de iodo eletrolítico (oxidação) e é transmitido para a substância corante (restaurada). A corrente é gerada pelo movimento desta eletricidade.

As células solares que não usam silício utilizam uma função fotocatalítico de titânio oxidado que torna possível oxidar corantes orgânicos para gerar eletricidade. Como é possível fabricar células solares por meio de um simples processo de cobertura e tratamento de calor, as pesquisas para tornar esta tecnologia viável tem avançado.

A Sharp tem alcançado a melhor taxa de conversão do mundo, 11,1% (alcançado como a mais alta pontuação numérica mundial em testes de verificação por uma instituição pública), e tem liderado a pesquisa de campo.